quarta-feira, setembro 14, 2005

Mais Pelarin

Voltei à ativa. Espero que os autores façam o mesmo. Os mil microcontos estão ali na esquina. Basta um último empenho. O Pedro Pelarin já voltou com tudo. Aqui vão as mais recentes produções do moço de Birigui.

852. Ele pediu um tempo para pôr a cabeça no lugar. Ela lhe deu um tempo e dois chifres. Bem feito! (P. Pelarin)

853. Tempos bicudos! Depois de sugerir ao povo pobre francês que trocasse o pão por brioche, Antonietinha não conseguiu mais colocar a cabeça no lugar. (P. Pelarin)

854. Sobrou só um motivo que justificasse o fracasso daquele projeto: faltou motivação. (P. Pelarin)

855. Disse que não estava com fome. Na verdade achou que não era correto comer a canja feita com "aquela" galinha. (P. Pelarin)

856. O garoto levou tão a sério aquele relacionamento que passou a sentir ciúmes do galo. (P. Pelarin)

2 Comments:

At 4:57 AM, Blogger Luís N said...

Caro Jarbas, mais fácil deixar aqui do que enviar por mail :)

Faz tempo que pensava em participar, hoje ao alinhar estes comprimidos, lembrei-me.

Use como quiser, dentro dos vossos critérios.

I

Todos os pontos acreditam numa mesma e incontestável verdade: o universo tem um centro.

II

A magia tem um único requisito: é preciso acreditar nela.

III

O amor não tem chave, é ele mesmo a chave.

IV

Quando as coisas lhe corriam mal, ficava bem, quando lhe corriam bem, melhor.

V

Era muito superficial, toda a sua profundidade estava à superfície.

VI

O seu eu era uma âncora mergulhada no sonho que o mantinha à tona do real.

VII

Primeiro excitou-o, depois paralisou-o, e por último matou-o.

VIII

Quando escrevia não tentava, nem por um instante, dizer o que queria, mas apenas o que não conseguia deixar de dizer.

 
At 4:58 AM, Blogger Luís N said...

Esqueci-me de me identificar, Luís Ene, das Mil e uma pequenas histórias.

 

Postar um comentário

<< Home